Assista nosso Programa

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Editora Prumo lança 'Os contos de fadas e a arte', de Kátia Canton

Editora Prumo lança Os contos de fadas e a arte, obra que relata a origem e importância dos contos que permitem transcender os limites da realidade cotidiana

A Editora Prumo lança o livro Os contos de fadas e a arte, da renomada autora Katia Canton, Ph.D. em Artes Interdisciplinares pela Universidade de Nova York e três vezes vencedora do Prêmio Jabuti na categoria Livro Infantil e Juvenil. A obra desempenha o raro papel de contextualizar os contos de fada histórica, social, cultural e esteticamente e auxilia pais e educadores a utilizarem os contos como alternativa interdisciplinar na educação.

Publicada originalmente como tese de doutorado da autora na Universidade de Nova York com o título “The Fairy Tale Revisited” (“O Conto de Fadas Revisitado”), a obra recebeu a Menção Contemporary Authors (Autores Contemporâneos) da Gale Research Institute e ganha agora uma adaptação sintética visando a aplicabilidade em salas de aula e oficinas.

Através das histórias de Cinderela e Chapeuzinho Vermelho, Canton mostra a diferença entre as versões de Charles Perrault e dos irmãos Grimm, sugerindo exercícios artísticos para serem desenvolvidos a partir dessas diferenças, tanto nas salas de aula como em oficinas sobre o assunto.

A autora conta a história de Perrault, um refinado burguês nascido em Paris, França, no século XVII. Viúvo e com quatro filhos pequenos, escreveu Cinderela e Chapeuzinho vermelho como cartilhas de boas maneiras para as moças e as crianças da época. As histórias possuem cunho moralizante e são sempre finalizadas com um poema.

E também a dos irmãos Grimm, nascidos na Alemanha no final do século XVIII, que fizeram versões mais suavizadas das mesmas histórias, focadas na criança e no seu desenvolvimento, aproximando o texto dos pequenos. Nelas são evidenciados conceitos de sobrevivência e perseverança.

“Cada adaptação tem o objetivo de comunicar determinado valor moral. Charles Perrault, por exemplo, inicia os contos em um contexto barroco, como uma cartilha de comportamento para as crianças da elite francesa. Dois séculos depois, o objetivo da fábula dos irmãos Grimm é valorizar a cultura popular alemã”, explica a autora.

Para se entender a riqueza de cada história, Canton vai além da análise dos textos, levando em conta a biografia dos autores, o contexto histórico em que as obras foram escritas, os costumes e valores das épocas e a arte predominante nos períodos, características que precisam ser levadas em conta para a identificação da linha narrativa, do estilo, da moral e do perfil dos personagens.

No livro, a autora refuta as características neutra e atemporal, que geralmente são atribuídas aos contos de fadas, como o contexto histórico pesa sobre a mensagem moral que é transmitida às crianças. “Se não são contextualizadas, essas histórias acabam se passando por valores universais, quando na verdade não o são e essa diferenciação é fundamental para definir a moral, o estilo e as características particulares dos personagens”, finaliza a autora.

Sobre a autora:
Katia Canton é Ph.D. em Artes Interdisciplinares pela Universidade de Nova York, cidade onde viveu por oito anos. Sua tese de doutorado, “The Fairy Tale Revisited” (“O Conto de Fadas Revisitado”), publicada nos Estados Unidos, recebeu a Menção Contemporary Authors da Galé Research Institute, Michigan. No Brasil, é professora associada e curadora do Museu Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Já publicou mais de 40 livros e recebeu vários prêmios, entre eles o Prêmio Jabuti por três vezes na categoria Livro Infantil e Juvenil.


FICHA TÉCNICA:
Título: Os contos de fadas e a arte
Autora: Katia Canton
Formato:14x21
Nº. de Páginas: 80 páginas
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-7927-032-1
Preço: R$ 24,90