sábado, 15 de junho de 2019

A ascensão do bolsonarismo no Brasil do Século XXI

A obra do jornalista Cesar Calejon e do fotógrafo Adriano Vizoni, lançada pela Lura Editorial, analisa os grandes fatores que possibilitaram a ascensão do ex-capitão do Exército Brasileiro à presidência do País

No dia 7 de outubro de 2018, o candidato do Partido Social Liberal (PSL) à Presidência da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, recebeu os votos de 49.276.990 brasileiros durante o primeiro turno das Eleições: 46,03% dos votos válidos. Por uma margem pequena, o ex-capitão do Exército Brasileiro não assumiu a chefia do Executivo na primeira instância do pleito e sem contraproposta a ser avaliada no segundo turno.

De acordo com o autor e jornalista Cesar Calejon, esse é um fato ainda mais significativo do que a própria eleição de Bolsonaro no segundo turno, com 57.797.464 votos. Na obra A ascensão do bolsonarismo no Brasil do século XXI, publicada pela Lura Editorial, Cesar explica que cinco grandes forças motivaram a votação maciça que o até então deputado federal teve na eleição presidencial de 2018: o antipetismo, o elitismo histórico, o dogma religioso, o “sentimento de antissistema” e a disseminação de notícias falsas ou discurso de ódio e medo a partir do uso de ferramentas como WhatsApp e Facebook.

A fim de entender como essas forças atuaram para possibilitar essa ascendência, Cesar realizou diversas pesquisas e entrevistas com doutores em Ciência Política e Relações Internacionais, jornalistas, psicólogo, neurocientista, personalidades e profissionais que participaram ativamente dos acontecimentos mais expressivos dos últimos anos, como o ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência em 2018.

Calejon utiliza na obra uma abordagem que reúne o jornalismo e o fotojornalismo na construção da narrativa. Para ilustrar os raciocínios apresentados no título, foram utilizadas imagens do fotojornalista Adriano Vizoni, que cobriu a maioria dos eventos abordados na obra, entre 2013 e 2018, para o jornal Folha de São Paulo.

Os capítulos são organizados de forma cronológica e seguem um valor de importância considerando a influência que cada elemento exerceu para a ascensão do bolsonarismo. Eles apresentam uma análise aprofundada dos temas centrais que permeiam a questão, como: aderência da população às retóricas do ex-capitão; os problemas relacionados à educação básica; a influência da mídia sobre a sociedade brasileira e os grupos internacionais que influenciaram de forma definitiva nas eleições brasileiras de 2018. O autor lembra aos leitores que esses mesmos grupos também foram decisivos para os resultados do Brexit, da eleição de Trump em 2016, entre outros.

Por fim, A ascensão do bolsonarismo no Brasil do século XXI debate quais são as expectativas e possíveis implicações, considerando a interação da administração Bolsonaro com a sociedade internacional até 2022, caso o presidente brasileiro realmente cumpra algumas das promessas que foram feitas.

Independentemente do posicionamento político-partidário, Cesar Calejon tem a intenção de que os leitores, a partir desse livro, entendam que existe uma nova estrutura sociopolítica determinada a partir de 2019, com outros agentes, novos equilíbrios de poder, filosofias distintas, diferentes alianças e narrativas sendo orquestradas para outra elaboração organizacional.

Lançamento da obra:

Data:15/07
Horário: às 19h
Local: Livraria da Vila
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 915 - Pinheiros – SP
Entrada gratuita

O evento contará com a presença dos autores Cesar Calejon e Adriano Vizoni para uma sessão de autógrafos.

Link para compra na pré-venda: http://bit.ly/2MKB1T7

Sobre os autores: Cesar Calejon é jornalista com especialização em Relações Internacionais pela Fundação Getulio Vargas (FGV), onde obteve o maior Coeficiente de Rendimento Acumulado (somatório das notas obtidas em cada disciplina ministrada) do curso e foi eleito o melhor aluno da turma T4. Durante as duas últimas décadas, atuou em algumas das principais agências de comunicação do Brasil e colaborou redigindo para jornais diários e revistas mensais, tais como Go Outside, Fluir e Venice.

Repórter fotográfico do jornal Folha de São Paulo desde 2009, Adriano Vizoni é um dos profissionais mais respeitados e experientes do jornalismo brasileiro. Formado em jornalismo, Vizoni sempre faz questão de ressaltar os aspectos contraditórios de cada história (o outro lado da moeda) e possui o olhar extremamente treinado pelas exigências da profissão.

Nota: Todas as informações sobre o livro e release acima são de responsabilidades dos autores da obra, Cesar Calejon e Adriano Vizoni.

domingo, 16 de dezembro de 2018

EM BUSCA DE NÓS MESMOS - DEUS PELA FILOSOFIA


Será que Deus existe? Se ele é tão bondoso e poderoso, como pode permitir tamanha maldade espalhada no mundo? Tudo o que ele recomenda é bom? Perguntas como essa são respondidas com fundamentos da filosofia e das ciências da mente (principalmente nas questões de aceitação e de compreensão do mundo, com racionalidade) no livro "Em busca de nós mesmos", escrito pelo neurocientista Pedro Calabrez, título essencial para todos que querem entender a verdade por trás de perguntas feitas há milênios por grandes pensadores.

Publicada pela Citadel Editora, a obra contém um capítulo muito específico que levanta a questão sobre o entendimento humano de Deus e como a crença na existência dele também afeta a racionalização e na postura para resolver problemas, tomar decisões e aceitar críticas morais. Tudo isso sem adentrar na teologia, buscando as respostas na filosofia e também nas avaliações humanas de compreensão entre si e de forças pelas quais não consegue controlar.

"O que vale para a minha aula vale para qualquer outra coisa. Deus poderia garantir a perfeição de tudo, mas, nesse caso, só haveria mesmo Deus. Tudo seria Deus. Tudo seria perfeito, e o mundo não existiria. Por isso, o amor de Deus por nós e a relação de Deus com a sua criatura faz lembrar as pegadas na areia da praia: elas indicam que Deus já passou por ali, mas foi embora para que o mundo possa ser como é. Foi embora para que você possa existir enquanto você."

Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? Perguntas manjadas, é verdade. Mas quem nunca pensou nisso pelo menos uma vez na vida? O questionamento sobre nossa existência, origem e destino tem sido tema de profunda reflexão dos maiores pensadores da humanidade ao longo de três mil anos e, mais recentemente, dos cientistas. As perguntas são as mesmas desde que o homem começou a pensar. As respostas não. Muito pelo contrário.

Filósofos e cientistas de todas as épocas e escolas têm se dedicado também a inquietações bem mais pessoais. O que devo fazer para viver melhor? O que acontece dentro de mim quando me apaixono? As respostas variam. E muito.

Em busca de nós mesmos é uma pequena e agradável viagem pela história da evolução do pensamento e do conhecimento humano. O diálogo informal de Clóvis de Barros Filho e Pedro Calabrez apresenta respostas da filosofia (com as ideias de Aristóteles, Platão e Spinoza, entre outros) e das ciências da mente (psicologia e neurociências) — e instiga o leitor a chegar a suas próprias conclusões. Clóvis e Calabrez aproximam a filosofia da ciência, revelando a complementaridade dessas visões. E aproximam ambas do leitor com um texto descontraído e acessível.

Ficha Técnica:
Em busca de nós mesmos
Autores: Clóvis de Barros Filho e Pedro Calabrez
ISBN: 8568014453
Assunto: Política Econômica / Sucesso Pessoal / Economia
Número de páginas: 400
Formato 14x21cm
Citadel Editora

Prêmio Espantaxim foi finalista do Prêmio IPL 2018, promovido pelo Instituto Pró-Livro


Projeto idealizado pela autora e escritora Dulce Auriemo ficou entre os 10 finalistas na categoria Cadeia Produtiva e recebeu o Selo IPL, do Instituto Pró-Livro


O Prêmio Espantaxim – Concurso Nacional Literário Infantil – foi um dos finalistas da terceira edição do Prêmio IPL – Retratos da Literatura, organizado pelo Instituto Pró-Livro (IPL). O IPL é uma fundação conjunta da Abrelivros (Associação Brasileira de Editores de Livros), do CBL (Câmara Brasileira do Livro) e do SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), com o objetivo comum de promover iniciativas que estimulem o hábito da leitura e o acesso aos livros.

Idealizado pela autora e escritora Dulce Auriemo com o objetivo de despertar o interesse das crianças pelo universo da leitura e escrita, o Prêmio Espantaxim concorreu ao Prêmio IPL na categoria Cadeia Produtiva. Por estar entre os 10 finalistas, o Concurso Nacional Literário Infantil foi contemplado com o Selo IPL, que é um reconhecimento às iniciativas que colaboram para promover a prática da leitura no Brasil.

Para Dulce, estar entre os finalistas foi uma honra. “O Prêmio IPL estimula projetos de fomento à leitura em todo o país. É maravilhoso participar e fazer parte dessa rede de iniciativas que veem o livro como algo primordial para o desenvolvimento da educação e formação intelectual de crianças, jovens e adultos”, afirma. O Prêmio Espantaxim está em sua quinta edição e é lançado a cada dois anos. É direcionado às crianças e jovens de todo o País, que escrevem sobre um novo tema relevante para o seu enriquecimento intelectual ou escolhido de acordo com a realidade vivenciada no ano em que o concurso é lançado.

Em 2018, o tema escolhido para o Prêmio Espantaxim foi: ““Futuro – Visão para um Mundo Melhor: Você embarcou em uma incrível máquina do tempo e chegou em 2050”! As crianças foram convidadas a escrever sobre o futuro considerando os impactos dos diversos avanços tecnológicos presentes no dia a dia. Os participantes desenvolveram seus textos em três categorias: redação, poesia e mensagem.

O Prêmio Espantaxim não possui fins lucrativos. A participação das crianças é sempre gratuita e também mobiliza professores e escolas de todo o Brasil. O concurso se destaca ainda por reunir os textos premiados em um livro especialmente preparado para essa finalidade, a Antologia, que chega à sua quinta edição. Ou seja: além de escrever, as crianças têm a oportunidade de ver as suas obras publicadas.

Na edição de 2018, o Prêmio Espantaxim recebeu 3.393 textos, escritos por crianças de 7 a 12 anos, estudantes de 48 escolas (públicas e privadas), de 96 cidades e 14 Estados brasileiros.



quarta-feira, 7 de março de 2018

Especialista em Anatomia de Imagem lança livro com conceito novo e exclusivo para vestir a silhueta feminina



O modelo XHOVA-S8-P3 analisa o corpo em três dimensões para que as mulheres entendam a sua silhueta

Insatisfeita com as fórmulas prontas de analisar o corpo feminino, Cris Bemvenutti acaba de lançar o livro “Enfim vestida de mim”. A obra, fruto de mais de quatro anos de trabalho, estuda as proporções femininas de uma nova forma: o conceito XHOVA-S8-P3. A técnica leva em conta a proporção de cada parte do corpo da mulher e também a constante busca do cérebro pelo equilíbrio visual.

Além de escritora, Cris Bemvenutti é bióloga e especialista em Anatomia de Imagem. Graduada pelo Institute of Image Consulting (Londres), ela é professora de Anatomia e Fisiologia, além de dar aulas de extensão universitária na área de imagem pessoal. Com mais de trinta anos de experiência na área, Cris já atendeu grandes empresas, como KPMG, O Boticário, Omint, TV educativa e Patricia Bonaldi.

“Hoje encontramos diversas fórmulas prontas para vestir as mulheres, porém nenhuma delas leva em conta as correlações entre todas as dimensões do corpo e muito menos entendem como funciona a percepção de quem nos observa. Isso é fundamental para aprendermos a valorizar nossos pontos fortes e desconsiderar aquilo que não merece evidencia em nosso corpo”, explica a autora.

O livro possui prefácio da jornalista, escritora e coach Fabiana Scaranzi, que logo de início avisa que este não é um livro que dita regras. Ele empodera as mulheres. Através do conhecimento, elas podem conquistar a liberdade de entender e amar a sua própria silhueta.



“Este não é um livro de moda”, comenta Cris.





Como funciona o conceito XHOVA-S8-P3

Apesar do nome parecer uma fórmula matemática, o modelo é mais simples do que parece. Depois de anos de estudo, Cris Bemvenutti encontrou na equação “autoconhecimento + entendimento sobre a percepção do cérebro humano” a fórmula ideal para a mulher recuperar o poder de se vestir com a sua melhor versão.

“Com base nisso, desenvolvi um conceito único, que avalia a silhueta feminina em suas três dimensões: horizontal, vertical e de perfil. O grande diferencial está na integração dessas informações. O livro irá levar a leitora a entender o quanto cada uma delas interage entre si e o caminho para que todas convivam em harmonia”, explica Cris.

O termo XHOVA refere-se aos formatos de silhueta de acordo com as medidas horizontais (relação ombros, cintura e quadris). O S8 analisa a proporção vertical do corpo, levando em conta o tamanho da cabeça. Já o P3 analisa o perfil da mulher, trabalhando com o volume dos seios, cintura e bumbum. “Acredito que o autoconhecimento é o princípio; o conhecimento técnico é o caminho; e a percepção é o veículo para o destino desejado: um resultado autêntico e exclusivamente seu!”

Como já dizia Coco Chanel “Roupa é como arquitetura: uma questão de proporção”. E com o livro “Enfim Vestida de Mim” e o conceito XHOVA-S8-P3 cada mulher descobrirá 7.971.615 oportunidades para encontrar a sua melhor versão.





Para conhecer mais sobre a autora, acesse o site:

http://www.crisbemvenutti.com.br/

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Vida e obra de Parsifal




Saiba mais sobre o autor de O Cearense: o político que fez a história do Ceará e do Brasil e o humanista que abriu caminhos no estudo sociológico da “cearensidade”. Conheça a trajetória de Parsifal Barroso, o mais jovem ministro de JK, o governador do Ceará que lutou por melhorias sociais, o pai de família, o professor e o humanista.

Nesta rica biografia, o leitor pode usufruir da extensa pesquisa do autor, Luís-Sérgio Santos, professor do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará, acerca desta figura admirável, sua história familiar tão ligada à política, suas raízes, sua carreira repleta de embates e seu legado intelectual. Homem de aptidões abrangentes, deixou-nos não apenas suas benfeitorias enquanto governador, senador e deputado federal, mas também o fruto de sua erudição: O Cearense, Uma história da política do Ceará: 1889-1954 e Vivências políticas, para destacar os mais significativos.

O volume conta ainda com um caderno de imagens para ilustrar alguns dos momentos mais marcantes narrados e dar rosto aos nomes mais próximos de Parsifal. Um verdadeiro tratado para a posteridade.



quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Vale a pena viver, se viver valer a pena - Fabiano de Abreu

Fabiano de Abreu - Filósofo
Foto: Vagner Souza/MF Global

Vale a pena viver, se viver valer a pena

Somos apenas uma geração das muitas que aqui estiveram e das muitas que aqui estarão. Dessas, muitas no esquecimento cairão.

Não importa o tempo, não importa a idade, o que importa é que faças algo para que a tua vida não exista por mera contabilidade.

As mudanças só serão sentidas a partir das ações, as ações resultam em acontecimentos e as consequências poderão fazer da vida, algo que não seja em vão.

Semear o amor, partilhar a dor, cooperar, fazer parte, somar na sociedade, faz a vida ter mais sabor.

Pois se há uma outra vida não temos certeza, mas da certeza temos a memória, daqueles que fizeram da vida, uma bela história.


Fabiano de Abreu - Filósofo, poeta, jornalista e gestor de imagem e carreira
Autor do livro Viver Pode Não Ser Tão Ruim.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Alexandre Rampazo lança A cor de Coraline na Livraria da Vila

Evento acontece amanhã, dia 10 de junho na loja da Fradique

A Livraria da Vila da Fradique recebe neste sábado, dia 10, o ilustrador, designer gráfico e escritor Alexandre Rampazo para o lançamento de seu novo livro A Cor de Coraline. Encontro acontece das 15h às 18h e conta com atividade infantil.

Quantas cores cabem na pergunta “Me empresta o lápis cor de pele? ”. Em A cor de Coraline, Alexandre Rampazo passeia pelas inúmeras possibilidades contidas numa caixa de lápis de cor e na imaginação infantil a partir da pergunta de um colega para a pequena Coraline, e mostra que o mundo é mais colorido – e diverso – do que nos acostumamos a pensar. Com texto curto o livro aborda o tema da diversidade de forma lúdica para os pequenos. A quarta-capa é assinada pelo premiado escritor Ignácio de Loyola Brandão.

Sobre o autor

Nascido em São Paulo, se formou pela Faculdade de Belas Artes e durante muito tempo atuou como diretor de arte para publicidade e como designer, desenvolvendo capas de livros e projetos editoriais. Hoje já escreveu e ilustrou diversos títulos infantis.

Serviço

Lançamento A Cor de Coraline
De Alexandre Rampazo
Ed. Rocco Pequenos Leitores
Sábado, 10 de junho, das 15h às 18h
Livraria da Vila – Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena, São Paulo
Grátis. Livre.
Haverá atividade infantil.