Assista nosso Programa

domingo, 21 de março de 2010

Uma história de amor que resgata o prazer da leitura

Em O marido perfeito mora ao lado, Felipe Pena usa a experiência como psicólogo para criar personagens que surpreendem pela veracidade

"Na melhor tradição rodrigueana, Felipe Pena constrói um enredo em que emoções, risos e lágrimas são descaradamente manipulados - com maestria - para a alegria do leitor. A escrita prazerosa do bom jornalista esconde, em suas dobras, a sofisticação do pesquisador." - Pina Coco, professora do Doutorado em Literatura da PUC-Rio

"Estamos diante de um grande romance, um dos melhores que tenho lido nos últimos anos. Há um novo romancista no Rio de Janeiro! E dos bons. Pois um romance médio quase que todos podem escrever. Todavia o segundo passo ser melhor do que o primeiro, este é o prefixo que identifica um escritor que tem projeto literário e está empenhado em escrever, não por conveniências da hora, mas por vocação." -
Deonísio da Silva, escritor premiado com o Casa de Las Américas e Doutor em Letras pela USP

Uma mulher angustiada busca a ajuda de uma terapeuta para salvar o casamento. Angústia que é compartilhada por outros personagens, até mesmo pelos bem casados (ou principalmente por estes). Então ocorre um crime. E os terapeutas farão o papel de investigadores. Quem é o culpado pela incomunicabilidade entre homens e mulheres? E quem conseguiria armar um plano tão diabólico? Um thriller envolvente de Felipe Pena, que para escrever o livro voltou aos bancos universitários e cursou faculdade de Psicologia - depois de já ter feito doutorado em Literatura na PUC e pós-doutorado de Semiologia na Sorbonne - e usou a nova experiência acadêmica na construção do romance. O MARIDO PERFEITO MORA AO LADO acaba de sair da gráfica da Editora Record (www.record.com.br) e chega às livrarias no dia 22 de março.

O MARIDO PERFEITO MORA AO LADO
Felipe Pena
Grupo Editorial Record/Editora Record
304 páginas
Preço: R$ 34,90


A incomunicabilidade entre os casais, a dificuldade em entender o outro, as armadilhas do amor. Tudo isso embrulhado em um enredo lúdico e bem articulado, que resgata o prazer da leitura. Definindo O MARIDO PERFEITO MORA AO LADO como uma história de amor, Felipe Pena enreda o leitor com as diferentes narrativas sobre aspectos diversos da alma e do cotidiano. "Quero fazer o leitor virar a página. Se você disser que não conseguiu largar o livro terá feito o melhor elogio que eu posso receber. Esse será meu maior prêmio", afirma o escritor.
Em seu segundo romance, Felipe - um dos articuladores do Manifesto Silvestre, em defesa da narrativa, do entretenimento e da popularização da literatura - mescla paixões, sociopatas e obsessões dentro de uma trama policial contemporânea, situada no Rio de Janeiro. Personagens típicos da cidade ajudam a retratar as discrepâncias sociais e a convivência aparentemente democrática de tipos heterogêneos, sem deixar de lado a crítica social.
Mais que uma obra ficcional, o livro é uma caricatura psicanalítica. Estão aqui o marido que trai a mulher com sua complacência, a amante que quer acreditar na sinceridade do amado, a amalucada que quer destruir quem se envolve com o objeto de sua paixão... As perguntas eternas: por que nunca estamos satisfeitos com o que temos? Por que a grama do vizinho é sempre mais verde? Por que descobrimos um amor quando estamos na iminência de perdê-lo?
Em O MARIDO PERFEITO MORA AO LADO, somos apresentados a uma mulher angustiada que busca a ajuda de uma terapeuta para salvar o casamento. Mas logo percebemos que a angústia é compartilhada por outros personagens, até mesmo pelos bem casados (ou principalmente por estes, como diz um deles). Então ocorre um crime. E os terapeutas farão o papel de investigadores. Quem é o culpado pela incomunicabilidade entre homens e mulheres? Uma questão que nem Freud foi capaz de resolver, embora passemos a vida atrás da resposta.

Felipe Pena é psicólogo, jornalista e professor da Universidade Federal Fluminense. Doutor em Literatura pela PUC-Rio, com pós-doutorado pela Sorbonne, é autor de dezenas de artigos científicos publicados no Brasil e no exterior, além de oito livros acadêmicos e do romance O analfabeto que passou no vestibular. Foi sub-reitor da UNESA, repórter e apresentador da TV Manchete e comentarista da TVE-Brasil. Assina uma coluna mensal no Jornal do Brasil e no site www.felipepena.com