Assista nosso Programa

sexta-feira, 5 de março de 2010

Livro educativo ensina matemática por meio do café da manhã de várias culturas

Os resultados da Prova de São Paulo 2009, realizada entre os alunos da rede municipal de São Paulo, mostraram mais uma vez a dificuldade dos estudantes em aprender matemática. O pior caso foi o da oitava série, na qual mais de 90% dos alunos apresentaram notas insatisfatórias.

Imagine, agora, aprender matemática de uma forma lúdica e divertida. Essa é a proposta do livro “Como o mundo acorda”, da escritora Ye Shil Kim, com ilustrações de Hee Jun Kang, que ensina o conceito de fração por meio de histórias sobre o que as pessoas comem no café da manhã, em vários países. Assista ao trailer gratuito: http://www.livroclip.com.br/index.php?acao=hotsite&cod=189

A obra mostra que no México, por exemplo, as mamães preparam para o café da manhã enchillada, uma massa recheada com carne, verduras ou queijo para os filhos. Na história, três irmãos dividem a enchillada em três partes iguais, mostrando a fração de um terço. O livro faz parte da Coleção Tan Tan, que reúne 24 títulos, todos com intuito de ensinar noções matemáticas ao público infantil.


Serviço:
Livro Como o mundo acorda
Callis Editora
Autor: Ye Shil Kim
Ilustração: Hee Jun Kang
22 cm x 23 cm
40 páginas
Preço sugerido: R$ 27,90

501 destinos que merecem ser visitados

Obra prioriza também lugares inusitados onde o leitor poderá ser o único turista

Brasil é considerado o mais belo da América do Sul.
Rio de Janeiro, Trancoso, Ilha Grande, Barra Grande,
Fernando de Noronha, Jericoacoara, Monte Verde,
Salvador e Florianópolis são os destaques.

O turismo nos últimos anos tem sido de extrema importância no que diz respeito ao desenvolvimento e crescimento da economia mundial. Ele detém hoje grande parte do PIB de muitos países que têm melhorado suas condições econômicas em decorrência do avanço que o setor tem proporcionado. Há 50 ou 60 anos, viajar para o exterior era um sonho para a maioria das pessoas. Somente pessoas ricas , com muito tempo livre conseguiam arcar com uma viagem para um país estrangeiro. Hoje o cenário é outro. Com o desenvolvimento do transporte aéreo a tal sonhada viagem para o Camboja, Uganda ou até mesmo para a Antártida pode facilmente se transformar em realidade.
Em 501 destinos que merecem ser visitados, mais recente lançamento da editora Larousse do Brasil, o leitor terá nas mãos uma fonte de inspiração para respirar novos ares, conhecer outras culturas e sonhar com a sua próxima aventura ou com um lugar para relaxar. Maravilhas da natureza, excepcionais criações humanas e lugares ermos foram explorados pelos autores viajantes e descritos com grande riqueza de detalhes, o que vai levar o leitor a incríveis aventuras imaginárias ou inspirar um roteiro de férias inusitado pelos cinco continentes.
O livro está dividido em cinco capítulos: África, As Américas e Caribe, Ásia, Austrália e Oceania, Europa e Oriente Médio. Além de belas fotos que ilustram cada paisagem, há informações de como quando ir, como chegar, o que há para ver, geografia, porque é importante, onde fica, o que há para fazer, o que comprar, não deixe de fazer, etiqueta cultural, importância histórica e também o “dê-se ao luxo” que no caso de Chefchaouen, no Marrocos, os autores dizem que é indispensável fazer uma refeição no famoso hotel-restaurante Tissemlal (Casa Hassan), que tem 350 anos e é administrado por uma família. De lá é possível admirar as montanhas Rif no terraço panorâmico.
O Brasil ganhou um merecido destaque em 501 destinos que merecem ser visitados. Entre os países sul- americanos ele recebeu a maior indicação de locais considerados indispensáveis para uma visita – Rio de Janeiro, Trancoso, Ilha Grande, Barra Grande, Fernando de Noronha, Búzios, Florianópolis, Jericoacoara, Monte Verde e Salvador. Sobre Barra Grande, que fica na Bahia, por exemplo, o livro relata:

Com atmosfera de uma tradicional vila de pescadores e com uma paisagem intocada, Barra Grande é um refúgio tranqüilo para aqueles que querem escapar da loucura do dia a dia. Quase não há carros e as ruas não são pavimentadas, já que os moradores preferem viver no ritmo do movimento das ondas. A arquitetura simples está cheia de jardins exuberantes com tonalidades vivas de flores exóticas roxas, alaranjadas, amarelas e vermelhas.
Este pitoresco vilarejo, rodeado de coqueiros e mangueiras, possui uma ampla e impressionante diversidade cultural, que pode ser vista em sua variedade de bares e restaurantes, que convidam o visitante a provar uma infinidade de sabores. O verdadeiro encanto da região, entretanto, são suas praias. A praia de Mangueiras, a principal da cidade, se vangloria de suas areias brancas e águas calmas de cor azul-celeste.

No continente americano o país que recebeu o maior número de indicações foram os Estados Unidos com 39 destaques, entre as paisagens, destacam-se: South Beach, Santa Fé, Kauai, Sedona, Grand Canyon, Las Vegas, São Francisco, Monte St. Helens entre outros.
Os 501 destinos escolhidos para o livro são apenas uma seleção de muitos milhares de lugares bonitos e interessantes do mundo. Alguns dos destinos escolhidos pelos autores são famosos no mundo inteiro: como Marrakesh, a Grande Muralha da China, o Taj Mahal, São Francisco, Rio de Janeiro ou Acrópole. Outros destinos não são tão famosos e alguns são até bastante inusitados, como a lagoa Dakhla, na Tunísia, ou o belo templo Wat Tham Pha, na Tailândia, lugares em que, com frequência, se é o único turista a desfrutar da hospitalidade local.

Sobre os autores e viajantes:
Jackum e David Brown foram editores de livros e revistas de Londres por mais de duas décadas. Hoje, vivem em Suffolk, no leste da Inglaterra, onde mantêm uma pousada e dedicam-se a viajar e a escrever livros. Ambos têm um gosto genuíno por viagens. Depois de explorar grande parte da Europa e América do Norte na juventude, nas últimas décadas têm viajado bastante à Ásia e à África.
Kieran Fogarty é músico, historiador e foi publicitário. Viajou pelo mundo inteiro, buscando inspiração para sua música e, neste livro divide suas impressões sobre a Itália.
Rebecca Walder foi acometida pelo vírus do viajante quando foi à Espanha e à Irlanda nas férias da universidade. Desde então tem aproveitado todas as oportunidades para explorar o mundo e se considera uma pessoa de sorte por ter visitado todos os continentes, exceto a Antártida.

Livro infantil educativo ajuda a trabalhar o tema da violência

Obra “Diogo e o monstro”, da Callis Editora, é indicada para crianças a partir dos cinco anos de idade

Esta semana o balanço da Secretaria da Segurança Pública, que revelou o crescimento do número de homicídios em São Paulo pela primeira vez em dez anos, estampou as páginas dos jornais. De acordo com o estudo, em média, oito pessoas foram mortas por mês após um assalto ou uma tentativa de roubo na capital.

Diante desse cenário uma questão surge para os pais e professores. Como abordar o tema da violência com as crianças e os adolescentes? A Callis Editora, especializada há mais de 20 anos em literatura infantil, apresenta a obra “Diogo e o monstro”, como uma boa dica para expor o tema de forma delicada e lúdica.

O livro, da escritora Cristina Von, é protagonizado por Diogo, que ao acompanhar notícias diárias de tragédias estampando as páginas dos jornais, crimes sendo exibidos todos os dias na televisão, começa a ficar assustado.

Grades nas janelas e portas sempre trancadas são a solução que os pais encontram para conseguir proteção. Mas nada disso diminui o medo do menino, que acaba encontrando um jeito diferente de lidar com seus temores. Com uma linguagem simples e ilustrações divertidas de Eliza Freire, o livro traz uma abordagem diferente para um assunto sério.


Serviço:
Livro Diogo e o monstro
Callis Editora
Autora: Cristina Von
Ilustração: Eliza Freire
21 cm x 28 cm
24 páginas
Preço sugerido: R$ 19,90

Cantigas e Contações, de autoria de Lúcia Pimentel Góes

Editora Prumo lança a obra Cantigas e Contações, da coleção Baú Folclórico, de autoria de Lúcia Pimentel Góes


A Editora Prumo lança, este mês, o terceiro livro da coleção Baú Folclórico: Cantigas e contações, da autora Lúcia Pimentel Góes. A obra leva aos pequenos leitores a riqueza do folclore dos povos de língua portuguesa, apresentando belas cantigas e contações de histórias sobre as festas tradicionais e o dia a dia das pessoas.

Os textos foram adaptados pela autora – uma das mais renomadas escritoras de livros infantis do país –, o que facilita a compreensão e o vocabulário das crianças e colabora para o intercâmbio cultural entre os países representantes da língua. As Cantigas de São João, por exemplo, trazem de volta a bela fogueira cheia de cores vibrantes, que dão movimento a cada um dos versos, ilustrados pelas habilidosas mãos de Maria Eugênia.

As cantigas seguem repletas de ludicidade e fantasia como na história do rei que quis experimentar o juízo de três conselheiros que tinha. Encontramos também a história do coelho que virou príncipe e tornou os dias da princesa felizes para sempre.

Em meio a tantas curiosidades e cantigas, o leitor, além de se divertir, irá descobrir a riqueza que outras culturas podem nos reservar.

Além do livro Cantigas e contações, a coleção Baú Folclórico conta com as obras Lendas Portuguesas e Poemas de contagem e enigmas populares.

Sobre a autora:
Lúcia Pimentel Góes nasceu em Amparo, no interior do Estado de São Paulo. É graduada em Música e Direito, pós-doutorada em Comunicação e Semiótica na PUC-SP, professora livre-docente e titular da Faculdade de Letras da USP. Já publicou dezenas de livros. Seu talento já foi inúmeras vezes reconhecido por meio de prêmios oferecidos pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e pela Câmara Brasileira do Livro (Prêmio Jabuti).

Sobre a ilustradora:
Maria Eugênia nasceu em São Paulo. Começou como ilustradora, na Folha de S.Paulo em 1991, onde continua ilustrando toda semana a coluna da Nina Horta; e na literatura infanto-juvenil em 1995. Já ilustrou mais de cinquenta livros para crianças e adultos. Ganhou prêmios como o Bologna Raggazi Award, na Itália; o American Illustracion 27 e o Society of ilustrators de Nova York, nos Estados Unidos; e o White Ravens, na Alemanha.

FICHA TÉCNICA:
Título: Cantigas e contações
Autora: Lúcia Pimentel Góes
Ilustradora: Maria Eugênia
Formato: 21 x 24 cm
Nº. de Páginas: 32
Acabamento: Brochura
ISBN: 978-85-7927-005-5
Preço: R$ 28,90

Livro conta pela primeira vez o que aconteceu com a Chapeuzinho Vermelho

Clássico infantil é desmascarado pelo novo livro de Antonio Rodrigues Almodóvar, que traz a história original

Todos conhecem ou já ouviram falar sobre a clássica história infantil da Chapeuzinho Vermelho. Uma menina que vai visitar a avó, conhece o Lobo na floresta e é salva pelo lenhador. O que poucos sabem é que essa história não é a original.

Os mistérios da Chapeuzinho é revelado pelo escritor e poeta Antonio Rodrigues Almodóvar, que já publicou mais de 40 obras, em seu novo livro “Chapeuzinho vermelho: a verdadeira história”.

A obra mostra, pela primeira vez, o que aconteceu de verdade com a Chapeuzinho Vermelho e sua vó, por meio de diálogos curiosos e ilustrações divertidas de Marc Taeger. O livro apresenta a versão de acordo com os textos da tradição oral francesa e os estudos do folclorista Paul Delarue.


Serviço:
Livro Chapeuzinho Vermelho: a verdadeira história
Callis Editora
Autor: Antonio Rodrigues Almodóvar
Ilustração: Marc Taeger
22 cm x 22 cm
36 páginas
Preço sugerido: R$ 26,90