Assista nosso Programa

quarta-feira, 3 de março de 2010

Livro apresenta ostras, estrelas-do-mar e peixes para crianças em processo de alfabetização

Bióloga e artista plástica escrevem a obra educativa “Bichos de praia” para apresentar as curiosidades dos animais das praias

Destinado para crianças que estão em processo de alfabetização, o livro educativo “Bichos da praia”, da Callis Editora, apresenta de forma simples, lúdica e divertida, as curiosidades dos bichos que habitam o fundo do mar. Ostras, estrelas-do-mar e peixes são apresentados em letra de forma e por meio de atividades variadas.

Essa é a proposta que uniu mais uma vez a bióloga Roseli Tuan, formada pela Universidade de São Paulo (USP), e a artista plástica Ana Michaelis. A parceria já é um sucesso na realização dos volumes “Bichos do jardim” e “Bichos da minha casa”. Vale destacar que a artista Ana Michaelis tem uma de suas obras no acervo da Gallery Pulitzer Art, em Amsterdam, Holanda.

Serviço:
Livro Bichos da praia
Callis Editora
Autor: Roseli Tuan e Ana Michaelis
Ilustração: Ana Michaelis
21 cm x 28 cm
24 páginas
Preço sugerido: R$ 19,90

Inteligência do Sucesso - Lançamento de livro

Especialista brasileiro lança nova teoria sobre inteligência!

Nova teoria de inteligência evidencia a capacidade de realização do ser humano como fator determinante do sucesso. Especialista em comportamento lança livro "Inteligência do Sucesso - a Inteligência de Quem Faz Acontecer", explicando essa inovadora abordagem. Dr. Jô Furlan é médico, primeiro Treinador Comportamental do Brasil e um dos precursores da Medicina Comportamental no País, área relacionada à neurociência cognitiva. É o Autor e precursor da Teoria da Inteligência Comportamental Humana (ICH)- a Inteligência do Sucesso. Ele apresenta nesse livro um descritivo técnico - prático, explicando o conceito de forma simples e direta e trazendo também 24 histórias de realizadores, como Mauricio de Sousa, Zilda Arns, Marcelo Glaiser, Jesus de Nazaré, Ozires Silva entre outras pessoas que segundo ele tem alto nível de ICH. É o resultado de 10 anos de observações e pesquisas.
Pela 1ª vez no Brasil, numa atitude inovadora do autor com o apoio da Editora Ser Mais, o livro foi aberto integralmente na internet sem custo (gratuitamente), juntamente com a venda nas livrarias.
Dr. Jô Furlan está a disposição para ensinar, dar dicas e sugestões de como aperfeiçoar sua Inteligência do Sucesso, superar desafios e aumentar as sua possibilidades de êxito pessoal e profissional.

Obra literária direcionada a crianças com autismo

O livro “A ratinha vaidosa”, que foi desenvolvido pela fundação espanhola B.A.T.A, conta a história de como a ratinha escolhe seu noivo dentre vários pretendentes
O autismo é uma disfunção que afeta a capacidade de comunicação e de desenvolvimento do indivíduo. Crianças autistas geralmente preferem ficar só, têm dificuldade em lidar com contato físico e visual, não gostam de mudanças, e repetem por diversas vezes determinadas atitudes.
É para essas crianças que se destina o livro de José A. López Parreño, “A ratinha vaidosa”, que acaba de ser lançado no País pela Callis Editora. A obra foi desenvolvida pela fundação espanhola B.A.T.A., especialmente para crianças com distúrbios de comportamento.
“O livro une o mundo concreto e o do leitor autista por meio dos desenhos e das palavras”, explica Miriam Gabbai, diretora da Callis Editora. As palavras que contam a história são associadas a um desenho correspondente, permitindo que os leitores façam uma associação de sentidos. A obra conta com ilustrações de Alicia Suárez, premiada pela Fundación Rutas del Românico.
As páginas mostram uma ratinha, que varria sua casa quando se deparou com uma moeda. Com esse dinheiro, ela comprou um laço, que chamou a atenção de vários pretendentes, entre eles um touro, um gato, um cachorro... Então surge um problema: como a ratinha escolherá seu noivo?


Serviço:
Livro A ratinha vaidosa
Callis Editora
Autor: José A. López Parreño
Ilustração: Alicia Suárez
22 cm x 22 cm
36 páginas
Preço sugerido: R$ 26,90

GUIA DE CURIOSIDADES SOBRE O SÍMBOLO PERDIDO

Lua de Papel lança guia de curiosidades sobre O Símbolo Perdido

LIVRO “A FILOSOFIA DE O SIMBOLO PERDIDO” DESVENDA TEMAS INSTIGANTES DO NOVO ROMANCE DE DAN BROWN

São tantas informações, fatos e dados históricos contidos nos romances de Dan Brown, que muitos leitores precisam de mais referências para entender com profundidade a trama de seus livros. E para que o público compreenda a história de “O Símbolo Perdido”, o professor Thomas R. Beyer Jr. publicou, em dezembro passado nos EUA, um estudo sobre o tema que com o título de “A Filosofia de O Símbolo Perdido – Guia de Curiosidades”, chega agora ao Brasil pelo selo Lua de Papel, da editora Leya. É um guia que complementa a leitura e elucida diversos fatos contidos na obra de Brown além de trazer uma série de fotografias, ilustrações e links de outros curiosos sobre o assunto.
O livro é fruto de quatro anos de pesquisa de Beyer e seus alunos do Middlebury College, em Vermont. O grupo fez todos os roteiros por monumentos, mausoléus e prédios históricos descritos na trama de Brown e realizou estudos sobre 33 temas-chave para entender a história e os dividiu em sete capítulos: Pessoas e Lugares, O Distrito de Colúmbia, Arte e Arquitetura, Criptologia, Ciência Moderna, Maçonaria e Os Ensinamentos Secretos.

Algumas curiosidades
• A palavra maçonaria vem do francês maçonnerie que significa construção. As lendas maçônicas dizem que os primeiros construtores do Templo de Salomão fundaram a irmandade para preservar os segredos do oficio e usaram símbolos para codificar essas informações.
• Para a maçonaria os números 3, 13 e 33 são muito importantes. O número 3 representa a trindade divina, 13 são os primeiros estados americanos e 33 é a idade em que Cristo foi crucificado.
• Existe mesmo uma passagem secreta no subsolo do Capitólio, em Washington, que leva até a Biblioteca do Congresso.
• Na Catedral Nacional de Washington existem 112 gárgulas, mas o curioso é que uma delas é a cabeça do personagem Darth Vader, do filme Star Wars.
• Visto de cima, o Monumento à Washington revela uma pirâmide egípcia perfeita.
• Dos 24 presidentes eleitos dos Estados Unidos, 14 eram maçons.
• A tradicional pedra fundamental colocada por autoridades em locais e construções importantes é na verdade um ritual maçônico, instaurado nos Estados Unidos por George Washington.
• Das 56 pessoas que assinaram a Declaração de Independência dos Estados Unidos, nove eram da maçonaria. E dos 33 signatários da Constituição americana, havia 13 membros da irmandade.
• O presidente Franklin Roosevelt, membro da maçonaria, instituiu a realização de um evento religioso no dia seguinte à posse na Catedral Nacional. Barack Obama realizou este mesmo ritual em 2009.

Ficha Técnica
Título: A Filosofia de O Símbolo Perdido – Guia de Curiosidades
Autor: Thomas R. Beyer Jr
Formato: 14x21 cm
Brochura
Nº de páginas: 224
Preço: R$ 24,90

O Autor
Thomas R. Beyer Jr, professor do Middlebury College, dirigiu muitos seminários sobre as obras de Dan Brown, e é o editor do guia de referência on-line “As Chaves de O Código Da Vinci”. Ele e seus alunos estão trabalhando atualmente em uma enciclopédia virtual dedicada ao livro “Anjos e Demônios”. Beyer começou a trabalhar em sua obra quatro anos atrás, quando Dan Brown revelou pela primeira vez a relação de seu novo romance com a fraternidade maçônica.

Sobre a Lua de Papel:
A editora Lua de Papel abriga as obras mais comerciais, tanto em ficção quanto não ficção, do grupo LeYa – formado por 18 editoras em Portugal e, entre elas algumas das principais do país, como a Editorial Caminho, que revelou José Saramago, além das editoras Dom Quixote e Asa. Seguindo o caminho da matriz e com o objetivo de criar uma identidade própria e firmar-se como uma das grandes editoras no Brasil, a editora Lua de Papel tem como Publisher, Pedro Almeida, e conta com uma equipe própria de editorial, marketing e comercial.

Livros abordam a beleza e diversidade da cidade de São Paulo

As obras “Crônicas de São Paulo”, “Paula de São Paulo” e “São Paulo” mostram a maior cidade do hemisfério sul por diversos ângulos e enfoques

Para comemorar os 456 anos da cidade de São Paulo, conhecida por ser o principal centro financeiro, coorporativo e mercantil da América Latina, a Callis Editora apresenta três obras que prometem atrair crianças, jovens e adultos, com dados curiosos e peculiaridades históricas.

A maior cidade do hemisfério sul, que reúne hoje aproximadamente 11 milhões de habitantes, é tema dos livros “Crônicas de São Paulo”, de Daniel Munduruku, “Paula de São Paulo”, de Mariângela Bueno e Sonia Dreyfuss, e “São Paulo”, de Sérgio Sister e Cláudio Cerri.

Em “Crônicas de São Paulo”, o leitor vai descobrir o significado dos nomes indígenas de lugares de conhecidos da metrópole. O autor vai ainda mais a fundo, mostrando como cada um desses povos teve influência na construção da cidade e no que ela representa.

Uma abordagem mais histórica é feita no livro “Paula de São Paulo”. A obra mostra por meio de um diálogo entre avó e neta, como foi a fundação da cidade, há 456 anos, de forma lúdica e divertida.

“São Paulo”, por sua vez, apresenta uma coleção de fotos da considerada 14ª cidade mais globalizada do mundo. São retratos de avenidas, ruas, centros culturais, financeiros e gastronômicos que oferecem um panorama geral da cidade.

Serviço:
Livro Crônicas de São Paulo
Callis Editora
Autor: Daniel Munduruku
Ilustração: Camila Mesquita
16 cm x 23 cm
64 páginas
Preço sugerido: R$ 20,90





Serviço:
Livro Paula de São Paulo
Callis Editora
Autor: Mariângela Bueno e Sonia Dreyfuss
Ilustração: Camila Mesquita
17 cm x 24 cm
32 páginas
Preço sugerido: R$ 20,90





Serviço:
Livro São Paulo
Callis Editora
25 cm x 32 cm
93 páginas
Preço sugerido: R$ 115,00

Livro ensina crianças a prepararem receitas fáceis e nutritivas

Receitas para pequenos cozinheiros

Sugestões de pratos fáceis de fazer ensinam as crianças a se divertirem na cozinha preparando comidinhas especiais

É possível deixar as crianças brincarem na cozinha. O livro Cozinhar É Divertido!, lançado pela Publifolha e escrito por Annabel Karmel, ensina de maneira lúdica e didática a preparar pratos fáceis de fazer e que deixarão os pequenos com água na boca.

As crianças aprenderão a cozinhar junto com a família e a se alimentar bem com ingredientes nutritivos, como tomate, milho, batata, banana, morango, maçã, mel e iogurte.

Seguindo as receitas do livro é possível fazer minipizzas com carinhas engraçadas, ursinhos de amendoim, barco de alface, franguinhos empanados, bolinhos de atum, espetinhos de salmão e mel, cheesecake de morango e até preparar uma festa para os amigos.

Cozinhar É Divertido! traz instruções passo a passo e ricamente ilustradas que facilitam o acompanhamento durante o preparo dos pratos. Os pequenos aprenderão a manusear os utensílios, os cuidados na cozinha e descobrirão como cultivar alguns alimentos em casa, além de curiosidades sobre alimentação.

Annabel Karmel é conhecida por dar consultoria aos pais sobre como alimentar seus filhos e é uma das principais autoras de livros de culinária para crianças, sempre com ênfase na diversão.


Cozinhar É Divertido!
Autor: Annabel Karmel
Editora: Publifolha
48 páginas
R$ 47,00

O livro pode ser adquirido nas principais livrarias, pelo televendas 0800-140090 ou pelo site www.publifolha.com.br

Sobre a autora

Annabel Karmel é autora best-seller em culinária para crianças e já escreveu 17 livros publicados em várias partes do mundo. Sua especialidade é selecionar ingredientes saborosos e nutritivos para as crianças sem que elas precisem passar horas na cozinha. Annabel escreve para muitos jornais e revistas e fala frequentemente no rádio e na TV britânica como especialista em nutrição infantil, além de ter sua própria linha de alimentos saudáveis para crianças. Foi mencionada em 2006 na Lista de Honra da Rainha por seu notável trabalho no campo da nutrição infantil. Pela Publifolha, escreveu também Meu Primeiro Livro de Culinária (2006).

Sobre a Publifolha

Criada em 1995, a Publifolha é hoje uma das principais editoras do Brasil. Tem forte atuação nas áreas de guias turísticos, informação e entretenimento. Com um catálogo diversificado, as publicações auxiliam o leitor a conquistar objetivos de estudo, trabalho, bem-estar e lazer. Seus títulos estão distribuídos em 20 áreas, como turismo, desenvolvimento profissional, referência, literatura (brasileira e estrangeira), artes, saúde, puericultura, comportamento, infantil e culinária.

Bonnie & Clyde – a vida por trás da lenda

Baseado em uma ampla pesquisa em arquivos, documentos do FBI e entrevistas, autor esmiúça a vida da dupla criminosa mais famosa do mundo.
Filme ganha remake este ano com Hillary Duff como protagonista.
No dia 23 de maio de 1934, o casal de criminosos mais famoso dos Estados Unidos foi morto num tiroteio com a polícia em Louisiana. Em 1967 o diretor Arthur Penn mudou a forma como Hollywood mostrava sexo e violência nos filmes, contando a história da dupla, interpretadas por Warren Beatty e Faye Dunaway, Bonnie e Clyde - uma Rajada de balas. O filme quebrou diversos tabus e foi campeão de bilheteria e crítica.
Neste mais recente lançamento da editora Larousse do Brasil Bonnie & Clyde – a vida por trás da lenda, o autor Paul Schneider conta a história pela voz dos amantes, com verossimilhança e drama a serem comparados com o livro A sangue frio, de Truman Capote.
Baseado em uma ampla pesquisa em arquivos, documentos do FBI e entrevistas, Schneider esmiúça a vida dos amantes e descreve a gélida época da Depressão que colaborou para fazer o público aceitar um casal frio e cruel em figuras românticas.
Clyde pertencia a uma família simples, que se mudou diversas vezes na tentativa de melhorar de vida. Era um menino insensível, teimoso, durão e, pior, tinha vergonha de ser pobre. Sua carreira de criminoso começou com furto de galos de briga no interior do Texas ainda na adolescência.
A família de Bonnie era mais privilegiada. Ela era uma menina doce, muito ligada à mãe. Adorava assistir a filmes, ouvir música country e escrever. Apaixonou-se pela primeira vez muito cedo, casou-se aos 15 anos e teve uma grande decepção amorosa que deixou marcas. Conheceu Clyde na casa de uma amiga, mas foi em sua casa, ao presenciar a prisão dele, que Bonnie descobriu que seu amor era um fora da lei.
A carreira criminosa dos dois, o talento para fugir da polícia e o romance do casal fascinavam o mundo. A gangue criada por eles fazia tremer o comércio - era sinônimo de brutalidade, impiedade, mas também vista como um sinal de revolta contra a miséria em tempos de crise. Segundo o autor, o relacionamento de Bonnie e Clyde era, no fundo, uma combinação tóxica de paixão cega misturada com um instinto de ir longe demais. Eles levaram as autoridades à loucura. Apesar do grande esforço da lei, a dupla perpetrou façanha após façanha, escapando da justiça inúmeras vezes.
Sem exaltar os assassinos ou difamar os policiais, Bonnie & Clyde – a vida por trás da lenda apresenta um relato verídico e eletrizante do casal criminoso mais célebre dos Estados Unidos e da cultura que o criou.
Neste ano a dupla ganha uma nova versão para o cinema, desta vez com Hillary Duff e Kevin Zeger (Transamerica).

Bonnie & Clyde – a vida por trás da lenda
Editora: Larousse do Brasil
Autor: Paul Schneider
Tradução: Lizandra Magon de Almeida
Preço: R$ 69,90
Pág: 432

Editora Peirópolis lança Quantas músicas tem a Música


Obra da educadora musical, Teca de Alencar Brito, Quantas músicas tem a Música?, propõe ao público leitor mergulhos nas sonoridades, trabalhando com instrumentos e músicas de várias culturas

FICHA TÉCNICA:

Título: Quantas músicas tem a Música? - Ou algo estranho no museu!
Autora: Teca Alencar de Brito
Ilustradora: Silvia Almstalden
Nº de páginas: 80
ISBN: 978– 85-7596-169-8
Formato: 22 X 19 cm
Preço: R$ 38,00


A Editora Peirópolis lança o livro Quantas músicas tem a Música?, de autoria da educadora musical, Teca de Alencar Brito. A obra, que vem acompanhada de um CD de músicas, foi produzida a partir do trabalho realizado com alunos da oficina de música da autora e propõe ao público leitor mergulhos nas sonoridades carregadas de afetos e sentidos que as muitas músicas da Música podem disparar.

Por meio da pesquisa, escuta, invenção e interpretação, a autora trabalha com instrumentos e músicas de várias culturas, dedicando-se a “conquistar” instrumentos “estranhos”, a cantar em outros idiomas e também a brincar como fazem as crianças de outros lugares do mundo.

“Partindo da escuta de nosso entorno, dos sons e músicas que nos rodeiam, acercamo-nos de sonoridades, materiais e produções musicais de outros povos, constatando que as singularidades– que nos distinguem – também nos aproximam como seres humanos (e musicais!)”, completa Teca.

No jogo da escuta e da música o leitor é convidado a descobrir as diversas facetas musicais que o corpo, os objetos, instrumentos e até mesmo o silêncio podem produzir e revelar. Seja com o choro, a congada no Brasil, o blues norte-americano, as canções de ninar ou as brincadeiras musicais o importante mesmo é se deixar levar pela encantadora aventura musical.

No mix de instrumentos e culturas a clássica canção de roda brasileira ‘A canoa virou’ dá espaço ao ritmo de Portugal, onde a canoa virou barca! Já no México a brincadeira se chama ‘El subir la barca’ (Ao subir na barca). Na Guatemala, por sua vez, as crianças gostam de brincar de ‘Hoja de té’ – jogo de mãos guatemalteco.

Para conhecer melhor cada um dos instrumentos vale recorrer ao catálogo dos instrumentos musicais do museu. E lá que cada um ganha forma e tom com um texto simples e leve. Tortuga, por exemplo, é um instrumento muito antigo típico da Guatemala, percutido com baqueta produz dois sons diferentes. Aliás, vocês sabem a diferença entra uma viola e um violão?

Coube a ilustradora Silvia Almstalden transformar cada um dos ritmos em imagens, com ilustrações leves e harmoniosas. Já os participantes ganharam identidade por meio de fotos, que registraram as criações e produções dos musicais dessa aventura sonora.

Sobre o autora:
Teca (Maria Teresa) Alencar de Brito é Doutora e Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC- SP, Bacharel em Piano e Licenciada em Educação Artística (Habilitação em Música). Professora no Departamento de Música da ECA-USP desde 2008, criou, há 25 anos, a Teca Oficina de Música, núcleo de educação musical em São Paulo, Capital, voltado à formação de crianças, jovens e adultos. Produziu 5 cds documentando o trabalho musical desenvolvido com crianças e adolescentes (Canto do povo daqui, Cantos de vários cantos, Nós que fizemos, Música pra todo lado, Um bolo...musical). É autora dos livros Música na educação infantil: propostas para a formação integral da criança e Koellreutter educador: o humano como objetivo da educação musical, ambos pela Ed.Peirópolis, além de vários artigos na área da educação musical.

Sobre a Editora Peirópolis:
Criada em 1994, a Editora Peirópolis tem como missão contribuir para a construção de um mundo mais solidário, justo e harmônico, publicando literatura que ofereça novas perspectivas para a compreensão do ser humano e do seu papel no planeta. Suas linhas editoriais oferecem formas renovadas de trabalhar temas como ética, cidadania, pluralidade cultural, desenvolvimento social, ecologia e meio ambiente – por meio de uma visão transdisciplinar e integrada. Além disso, é pioneira em coleções dedicadas à literatura indígena, à mitologia africana e ao folclore brasileiro. A editora está afinada com os propósitos do terceiro setor, participando ativamente do crescente movimento de sua profissionalização. Para saber mais sobre a Peirópolis, acesse www.editorapeiropolis.com.br