Assista nosso Programa

domingo, 15 de agosto de 2010

Skaf reforça propostas para a educação em visita à Bienal do Livro de São Paulo

Em seu twitter, candidato do PSB a governador mostra que os lucros das concessionárias de rodovias do Estado ultrapassam os dos bancos

O candidato do PSB ao governo paulista, Paulo Skaf, visitou hoje (sexta-feira, 13/08) a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, e aproveitou para reforçar suas propostas para a área da educação.
“As crianças estão nas escolas da rede pública estadual, não aprendem, passam de ano sem aprender, pelo sistema da progressão continuada, e chegam no ensino médio sem conhecimento. Aí, têm dificuldade de preencher a cota de 30% de alunos da rede pública na USP”, avaliou Skaf.

“Vou buscar excelência na educação, nos laboratórios, com o ensino em tempo integral e a criança o dia inteiro na escola. No ensino médio, vou dar a oportunidade de que o aluno possa fazer um curso profissionalizante ao mesmo tempo”, continuou.

Pedágios
Skaf também voltou a tratar hoje do tema dos pedágios, um dos mais presentes no debate da noite de quinta-feira na TV Bandeirantes. O candidato do PSB foi o primeiro a citar o assunto no programa de ontem. Já na sua página da rede de microblogs Twitter, postou números que mostram a alta rentabilidade das concessionárias de rodovias do Estado de São Paulo, que tem os pedágios mais caros do Brasil.
Segundo a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), as cinco maiores empresas que têm concessões de rodovias paulistas lucraram, em média, 57% sobre o capital investido em 2009, enquanto os cinco maiores bancos do país tiveram rentabilidade média de 18,2%.

“No debate de ontem, o abusivo preço dos pedágios em São Paulo gerou polêmica e desinformação. Na defensiva, o candidato tucano distorceu os fatos”, postou. “Reconhecer erros e ter humildade para assumir o compromisso de corrigi-los é mais honesto que enganar a população maquiando a realidade”, completou Skaf.