Assista nosso Programa

terça-feira, 16 de março de 2010

Lançamento da serrote #4 com debate sobre ensaísmo brasileiro na Casa do Saber (SP) em 25/03

O Instituto Moreira Salles lança, em 25 de março (quinta-feira), às 20h, na Casa do Saber (r. Doutor Mario Ferraz, 414, Jardim Paulistano) a quarta edição da revista de ensaios serrote. Na mesa data será realizado um debate sobre o novo ensaísmo brasileiro com a presença do arquiteto e crítico Guiherme Wisnik, Nuno Ramos, artista plástico e escritor, e Flávio Pinheiro, jornalista e superintendente do IMS.

A próxima edição da revista serrote #4 traz em seu cardápio:
- O ensaio do escritor Daniel Galera sobre o videogame The Prince of Persia. Um dos mais destacados escritores brasileiros da nova geração apresenta as novas formas narrativas que apareceram com os games.

- As relações entre o cinema (a manifestação artística de um mundo de constantes partidas) e a pintura, são tema do ensaio escrito pelo crítico e escritor inglês John Berger. O texto é ilustrado com um caderno de oito páginas trazendo um recorte dos afrescos que Giotto fez para a capela de Scrovegni, em Pádua, considerados por Berger como o primeiro indício do que viria a ser, seis séculos depois, o cinema. O ensaio foi traduzido por Sergio Flaksman.

- Considerado como um dos mais respeitados críticos literários ingleses da atualidade, Terry Eagleton cria um personagem chamado Ditchkins para polemizar com o cientista Richard Dawkins e com o jornalista e escritor Christopher Hitchens sobre as relações entre a Fé e a Razão.

- Um texto do historiador Evaldo Cabral de Mello, especialista no período holandês no Brasil, sobre a participação do padre Antônio Vieira nas negociações de Portugal para dar fim ao domínio dos Países Baixos em Pernambuco.

- A partir da fortuna crítica de Machado de Assis no exterior, o crítico literário Roberto Schwarz analisa a crônica “O punhal de Martinha”, de Machado de Assis.

- Um texto do crítico literário e tradutor alemão Joachim Kalka sobre o fim da moeda como algo que se passa de mão em mão. A análise parte do escritor francês Léon Bloy, que vivia miseravelmente, para chegar ao Tio Patinhas, o personagem que se afogava em moedas.

- O crítico de arquitetura Guilherme Wisnik e Heloisa Lupinacci escrevem sobre o futuro urbanístico de Coney Island – a praia e o parque de diversões frequentados por milhões de norte-americanos nas primeiras décadas do século 20. O texto é ilustrado com fotos de grandes nomes como Walker Evans e Weegee, e por novos fotógrafos brasileiros como Thyago Nogueira e Leonardo Lima.

- serrote publica o abrangente posfácio que a norte-americana Rebecca West, especialista em literatura italiana, fez para o Pinóquio editado pela coleção de clássicos da The New York Review of Books. As ilustrações de Attilio Mussino são tiradas da primeira edição em livro de Pinocchio, na Itália.

- No “Alfabeto serrote”, o poeta Eucanaã Ferraz escreve o verbete “Cadeira”. Já Jed Perl, crítico de arte da revista The New Republic, escreve o verbete “Capriccio”, inspirado na obra do artista Watteau.

- Na seção “Carta aberta”, publicamos a carta que a etnóloga e militante da resistência francesa Germaine Tillion enviou a seus algozes alemães. O crítico Tzvetan Todorov achava que esta carta deveria ser obrigatória nos cursos de literatura.

- A seção “Contraluz” traz um conto de Vilma Arêas baseado em foto de José Medeiros feita na estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro. Em “Contraluz”, um escritor faz um relato de ficção baseado em fotografias do rico acervo do Instituto Moreira Salles.

A capa e a contracapa da quarta edição da revista serrote foram desenhadas especialmente pelo artista português Jorge Colombo, radicado nos EUA há duas décadas. O artista foi à praia de Coney Island no início de fevereiro e, tremendo de frio por causa do rigoroso inverno setentrional, fez com o dedo em seu iPhone, usando o aplicativo Brushes, as ilustrações que envolvem a nova edição da quadrimestral editada pelo Instituto Moreira Salles.

Nos ensaios visuais, a serrote #4 traz um caderno de 16 páginas em papel especial, com fotos sobre a construção de Brasília feitas por Peter Scheier. Antecipando uma pequena parte da grande exposição que o IMS fará em abril sobre o cinquentenário da capital brasileira, a curadora Heloisa Espada escolheu um recorte que enfatiza o lado humano da construção da “capital da esperança”, como a chamou o escritor francês André Malraux.

Em outro ensaio visual, está a série de desenhos de Jorge Colombo que participou da exposição coletiva Summer Readers, exibida na galeria Jen Bekman, em Nova York, durante o verão de 2009. São retratos, feitos a caneta sobre papel, de pessoas lendo no metrô.

A revista chega às livrarias em 16 de março.

serrote #4
224 páginas
R$ 29,90