Assista nosso Programa

domingo, 16 de agosto de 2009

LIVRO METAMORFOSE AMBULANTE MOSTRA RAUL SEIXAS QUE OS FÃS NÃO CONHECEM

Entre as dezenas de homenagens nos 20 anos de morte do cantor e compositor Raul Seixas, será lançado o livro "Raul Seixas-Metamorfose ambulante", escrito por Mário Lucena, Laura Kohan e Igor Zinza, com coordenação de Sylvio Passos, presidente do fã-clube do cantor.
O livro mostra um Raul que os fãs não conheceram. Seu fascínio por filosofia e a inspiração para músicas que revolucionaram o rock nacional, e a criação do "Maluco Beleza", reverenciado por antigos e novos admiradores de sua genialidade.
Sylvio Passos, que conviveu nove anos com Raul Seixas, comenta: "Nesse livro vamos ver que Raul conseguiu passar conceitos de filósofos, de Platão a Sartre, tendo obsessão pelo niilista alemão Arthur Schopenhauer e o hermético Crowley".
Até o final do mês estará nas bancas de todo o Brasil, o livro de revelações bombásticas: a relação de Raul com a filosofia (Schopenhauer, Crowley, Sartre etc), com os parceiros (Paulo, Cláudio, Motta etc), os assuntos que moveram a imprensa (disco voador, drogas, Jerry Lee, John Lennon etc), a ligação com a família e até com o capeta!
O livro traz como brinde o CD Alquimia, com 14 músicas da cantora portuguesa Carina Freitas, psiquiatra de adolescentes, que se apaixonou pelas letras e pelo som de Raul Seixas. Gravou "Canção para minha morte", escreveu "Alquimia, segredo guardado" em homenagem ao Raul, e a música se tornou tema de novela em Portugal.
Algumas revelações do livro:
- A metamorfose ocorre com a leitura do filósofo niilista Schopenhauer.
- Em 1968 citou Schopenhauer na composição Trem 103: Consciente de voltar por onde vim. O trem, a composição, veículo da morte-renascimento, torna-se presença constante na sua obra.
* Foto: Sylvio Passos, Laura Kohan, Igor Zinza e Mario Lucena.
Aparece com destaque em 1973 (A hora do trem passar) e em 1974 (Trem das sete). Em 1989, ano de sua morte, Raul expressou o desejo de mudar a direção do trem (Carpinteiro do universo).
- Em alguns momentos citou Protágoras, Sócrates, Platão, Sartre, mas suas principais fontes foram o hermético Crowley e o pessimista Schopenhauer.
- De Crowley, Raul abstraiu a proposta místico-liberal. Levou-a ao público a partir de 1974 como Sociedade Alternativa. Mesmo sem a benção da censura, recitava os versos da Lei de Thelema ou Lei da Vontade (de Crowley e Schopenhauer) em meio ao refrão da Sociedade.
- Mosca na sopa é Schopenhauer (Se a mosca, que agora zumbe em torno de mim, morre à noite, e na primavera zumbe outra mosca nascida do seu ovo, isso é em si a mesma coisa), mas para não deixar dúvida sobre sua fonte mais rica, em 1983 pegou do filósofo um trecho do capítulo Morte - do livro Dores do Mundo - para usar em Nuit: (Quão longa é a noite do tempo sem limites, comparada ao curto sonho da vida).

FICHA TÉCNICA
Livro - "Raul Seixas - Metamorfose Ambulante"
Autores - Mário Lucena, Laura Kohan e Igor Zinza
Coordenação - Sylvio Passos
Brinde - CD Alquimia de Carina Freitas (Funchal - Ilha da Madeira)
Editora: B&A Páginas: 260 Preço: RS 29,90 Venda: banca de jornal
*
*
*
Publicidade:
BRINDES ESCOLARES PARA FESTAS INFANTIS
Imas de geladeira, calendários, diplominhas
Acesse: www.kidbrinde.webnode.com.pt